BLOG

03.06.2015

Saúde musculoesquelética: diferenças entre homens e mulheres

Mulheres em geral têm maior incidência de fraturas de quadril relacionadas com a osteoporose em relação ao sexo masculino. Entretanto, elas têm uma menor taxa de mortalidade do que os homens com a mesma fratura. Estes e outros levantamentos foram mostrados em um estudo realizado em junho 2015 e publicado pelo “Journal of the American Academy of Orthopaedic Surgeons (JAAOS)”. Além disso, os médicos nem sempre tratam a osteoporose em homens como fazem em mulheres.

O levantamento, "Male and Female Differences Matter in Musculoskeletal Disease", detalha as diferenças entre, e como, os distúrbios osteomusculares comuns manifestam-se em homens e mulheres. O documento também enfatiza o quanto é importante para os profissionais de saúde compreender essas diferenças e reconhecê-las como fatores importantes para um diagnóstico e tratamento diferenciados em lesões musculoesqueléticas.

"Sabendo que existem diferenças na incidência e apresentação entre homens e mulheres é uma parte importante no diagnostico e tratamento dos pacientes", diz o cirurgião ortopédico Jennifer Moriatis Wolf, MD, principal autor do estudo. "Identificar semelhanças e diferenças permitirá que os profissionais da saúde ofereçam melhores atendimentos a todos os pacientes ortopédicos."

Há diferenças como homens e mulheres desenvolvem vários distúrbios osteomusculares comuns, tais como:

Ligamento cruzado anterior (LCA) é quatro vezes mais comum em mulheres.
O sexo feminino tem duas vezes mais probabilidade do que os homens de sofrer uma lesão do LCA em esportes de alta intensidade como o futebol e basquete que exigem mudanças bruscas de movimento.
Entorses de tornozelo são duas vezes mais comuns em mulheres.
Osteoartrite do joelho é mais comum em mulheres.
Metacarpo e falanges (dedo): fraturas são mais comuns no sexo masculino.

O reconhecimento dessas diferenças pode contribuir para um melhor atendimento de pacientes individuais e para um maior índice de suspeita de lesão para determinados diagnósticos, tais como lesões do LCA.

Texto traduzido e readaptado.
Fonte: American Academy of Orthopaedic Surgeons



RECEBA NOVIDADES

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os cursos da Meddco