BLOG

25.11.2015

Exame de Translucência Nucal na Gestação

A Translucência Nucal (TN) é uma medida que é realizada na região da nuca do feto, durante um exame de ultrassonografia.  Através dessa medida e da idade materna podemos calcular o risco do feto apresentar alterações cromossômicas, como a Síndrome de Down e ver o risco de algumas malformações, como as do coração.

"Uma medida aumentada para a idade gestacional significa um aumento de risco dessas alterações. Se na ultrassonografia também o osso nasal estiver ausente, o risco também pode estar aumentado", explica Dra Nancy Gasparini, radiologista.

"Assim, a medida da translucência nucal, não é um exame diagnóstico só define grupos baixo ou alto risco", complementa a Dra. Sua medida alterada não indica que o bebê tem uma doença genética ou malformação, apenas indica que há um risco aumentado do feto apresentar alguma alteração. Ou seja, uma translucência nucal com valores normais não garante que o bebê não terá qualquer problema, apenas significa que o risco de apresentar qualquer alteração diminui. Da mesma forma, uma translucência nucal aumentada não garante que o bebê terá algum problema, apenas informa que o risco do bebê apresentar alguma alteração esta aumentado.  Neste caso, a grávida pode fazer exames complementares para que o diagnóstico possa ser fechado.

Além da translucência nucal, o osso nasal, o fluxo do ducto venoso, que é o vaso pelo qual o sangue da placenta chega ao feto e outros marcadores também são importantes para calcular o risco do bebê apresentar alterações no cariótipo (número de cromossomos).

Quando fazer a translucência nucal?
A translucência nucal deve ser feita entre a 11ª e a 14ª semana de gestação, durante o exame de ultrassonografia, pois é quando o feto já tem entre 45 a 84 mm de comprimento, da cabeça à nádega.

Qual é a eficácia do teste da translucência nucal?

Os testes de rastreamento, como a medida da translucência nucal, não são perfeitos. Aceita-se que a translucência nucal  junto com outros marcadores  tenha uma sensibilidade próxima de  90%.

O que fazer se o seu bebê tem translucência nucal aumentada?

Nesse caso, deve se consultar seu obstetra e fazer uma  consulta genética para avaliar a possibilidade de realização de biópsia de  vilosidades coriônicas (que é a retirada de células da placenta do feto)  ou amniocentese (punção de líquido amniótico que é a retirada de alguns mls de líquido da bolsa das águas)  uma análise dos cromossomos do bebê; o chamado cariótipo. O cariótipo permite diagnosticar não só a síndrome de Down, mas uma série de outras alterações cromossômicas. Caso o resultado do cariótipo seja normal, ainda assim o bebê pode ter outras doenças (como, por exemplo, malformações cardíacas). Portanto a conduta sugerida nestes casos é a realização de um exame morfológico detalhado entre 20 a 24 semanas de gestação e um exame do coração do bebê chamado ecocardiografia fetal.

Texto reproduzido.
Fonte: segs.com.br



RECEBA NOVIDADES

Inscreva-se em nossa newsletter e receba todas as novidades sobre os cursos da Meddco